Avaliação de programa de atividade física para escolares: desenvolvimento e validação de instrumento

Autores

  • Jaqueline Aragoni Silva Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6344-9073
  • Valter Cordeiro Barbosa Filho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Aracati, Ceará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4769-4068
  • Danielle Biazzi Leal Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5392-5504
  • Camila Fabiana Rossi Squarcini Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1605-4834
  • Kelly Samara da Silva Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7356-1680

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.27e0286

Palavras-chave:

Atividade física, Adolescente, Avaliação de programas e instrumentos de pesquisa

Resumo

Este estudo objetiva desenvolver e validar um instrumento para avaliar dimensões do planejamento e processo de implementação de um programa de intervenção voltado à promoção de atividade física em escolares. Foi conduzido um estudo metodológico realizado durante os meses de julho a dezembro de 2016, vinculado ao programa de intervenção intitulado de “Movimente”. O estudo envolveu as fases teórica (construção do instrumento), empírica e analítica (validação de conteúdo por especialistas, com atribuição de pontuação para os itens e de semântica, por membros da comunidade escolar e alunos do 7º ao 9º ano). O instrumento é dividido em duas dimensões: planejamento e processo. Resultados mostram que a dimensão de planejamento foi composta por indicadores acerca da importância da discussão sobre temas de saúde no contexto escolar, interesse em participar do programa e de suas respectivas ações. A dimensão de processo englobou indicadores sobre conhecimento e avaliação do programa e de suas respectivas ações, bem como sobre o interesse em manter o mesmo. Todas as questões foram consideradas válidas (índices de validade acima de 0,90) e compreensíveis (escores acima de 0,82). Conclui-se que o instrumento apresentou qualidade satisfatória no que diz  respeito a validade de conteúdo e semântica, sendo considerado apropriado para avaliação do Programa Movimente e programas e ou projetos similares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Aragoni Silva, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Educação Física, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Graduada em Educação Física pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestre e Doutoranda em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro do Núcleo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde (NuPAF-UFSC).

Referências

Guthold R, Stevens GA, Riley LM, Bull FC. Global trends in insufficient physical activity among adolescents: a pooled analysis of 298 population-based surveys with 1·6 million participants. The Lancet Child & Adolescent Health. 2020;4(1):23–35. DOI: https://doi.org/10.1016/S2352-4642(19)30323-2

Bull FC, Al-Ansari SS, Biddle S, Borodulin K, Buman MP, Cardon G, et al. World Health Organization 2020 guidelines on physical activity and sedentary behaviour. Br J Sports Med. 2020;54(24):1451–62. DOI: https://doi.org/10.1136/bjsports-2020-102955

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Coordenação de, População e Indicadores Sociais, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística B. Pesquisa nacional de saúde do escolar : 2019. Rio de Janeiro: IBGE; 2021.

Neil-Sztramko SE, Caldwell H, Dobbins M. School‐based physical activity programs for promoting physical activity and fitness in children and adolescents aged 6 to 18. Cochrane Database of Systematic Reviews [Internet]. 2021 [cited 2022 Aug 15];(9). Available from: https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD007651.pub3/full DOI: https://doi.org/10.1002/14651858.CD007651.pub3

Barbosa Filho VC, Bandeira AS, Minatto G, Linard JG, Silva JA, Costa RM, et al. Effect of a multicomponent intervention on lifestyle factors among brazilian adolescents from low human development index areas: A cluster-randomized controlled trial. Int. J. Environ. Res. Public Health. 2019;16(2):267. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph16020267

Assis MAA, Nahas MV, Barros MVG. O projeto “Saúde na Boa” na promoção de um estilo de vida saudável em escolares do ensino médio. Rev. Bras. Cineantropometria Desempenh. 2014;16(0):i–iii. DOI: https://doi.org/10.5007/1980-0037.2014v16s1pi

Spohr C, Fortes M, Rombaldi A, Hallal P, Azevedo M. Atividade física e saúde na Educação Física escolar: efetividade de um ano do projeto “Educação Física +”. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2014;19(3):300–13. DOI: https://doi.org/10.12820/rbafs.v.19n3p300

Silva KS, Silva JA, Barbosa Filho VC, Santos PC, Silveira PM, Lopes MVV, et al. Protocol paper for the Movimente school-based program: A cluster-randomized controlled trial targeting physical activity and sedentary behavior among Brazilian adolescents. Medicine. 2020;99(31):e21233. DOI: https://doi.org/10.1097/MD.0000000000021233

Borde R, Smith JJ, Sutherland R, Nathan N, Lubans DR. Methodological considerations and impact of school-based interventions on objectively measured physical activity in adolescents: a systematic review and meta-analysis: Effects of measured PA interventions. Obes Rev. 2017;18(4):476–90. DOI: https://doi.org/10.1111/obr.12517

Glasgow RE, Harden SM, Gaglio B, Rabin B, Smith ML, Porter GC, et al. RE-AIM Planning and Evaluation Framework: Adapting to New Science and Practice With a 20-Year Review. Front. Public Health. 2019;7:64. DOI: https://doi.org/10.3389/fpubh.2019.00064

Van den Berg V, Salimi R, Groot R, Jolles J, Chinapaw M, Singh A. “It’s a battle… you want to do it, but how will you get it done?”: teachers’ and principals’ perceptions of implementing additional physical activity in school for academic performance. IJERPH. 2017;14(10):1160. DOI: https://doi.org/10.3390/ijerph14101160

Reis RS, Salvo D, Ogilvie D, Lambert EV, Goenka S, Brownson RC. Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving. The Lancet. 2016;388(10051):1337–48. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(16)30728-0

Cassar S, Salmon J, Timperio A, Naylor PJ, van Nassau F, Contardo Ayala AM, et al. Adoption, implementation and sustainability of school-based physical activity and sedentary behaviour interventions in real-world settings: a systematic review. Int J Behav Nutr Phys Act. 2019;16(1):120. DOI: https://doi.org/10.1186/s12966-019-0876-4

Naylor PJ, Nettlefold L, Race D, Hoy C, Ashe MC, Wharf Higgins J, et al. Implementation of school based physical activity interventions: A systematic review. Prev Med. 2015;72:95–115. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ypmed.2014.12.034

Shah S, Allison KR, Schoueri-Mychasiw N, Pach B, Manson H, Vu-Nguyen K. A Review of Implementation Outcome Measures of School-Based Physical Activity Interventions. J Sch Health. 2017;87(6):474–86. DOI: https://doi.org/10.1111/josh.12514

Durlak JA, DuPre EP. Implementation matters: a review of research on the influence of implementation on program outcomes and the factors affecting implementation. Am J Community Psychol. 2008;41(3):327–50. DOI: https://doi.org/10.1007/s10464-008-9165-0

Saunders RP, Evans MH, Joshi P. Developing a Process-Evaluation Plan for Assessing Health Promotion Program Implementation: A How-To Guide. Health Promot. Pract. 2005;6(2):134–47. DOI: https://doi.org/10.1177/1524839904273387

Santos SG. Métodos e técnicas de pesquisa quantitativa aplicada à Educação Física. Vol. 1. Florianópolis: Tribo da Ilha; 2011. 237 p.

Pasquali L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Vozes; 2003.

Oliveira PS, Van Munster MA. Validação de conteúdo de um instrumento de avaliação do esquema corporal para crianças com cegueira. Revista Educação Especial. 2012;25(44):563–86. DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X5486

Gunther H. Como elaborar um questionário. Brasília, DF: UNB, Laboratório de Psicologia Ambiental; 2003. (Planejamento de Pesquisas nas Ciências Sociais).

Grant JS, Davis LL. Selection and use of content experts for instrument development. Res Nurs Health. 1997;20(3):269–74. DOI: https://doi.org/10.1002/(SICI)1098-240X(199706)20:3<269::AID-NUR9>3.0.CO;2-G

Alexandre NMC, Coluci MZO. Validade de conteúdo nos processos de construção e adaptação de instrumentos de medidas. Ciênc. Saúde Colet. 2011 Jul;16(7):3061–8. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000800006

Craig P, Dieppe P, Macintyre S, Michie S, Nazareth I, Petticrew M. Developing and evaluating complex interventions: the new Medical Research Council guidance. BMJ. 2008;337:a1655. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.a1655

Moore G, Audrey S, Barker M, Bond L, Bonell C, Cooper C, et al. Process evaluation in complex public health intervention studies: the need for guidance. J Epidemiol Community Health. 2014;68(2):101–2. DOI: https://doi.org/10.1136/jech-2013-202869

Bonell C, Fletcher A, Morton M, Lorenc T, Moore L. Realist randomised controlled trials: A new approach to evaluating complex public health interventions. Soc. Sci. Med. 2012;75(12):2299–306. DOI: https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2012.08.032

Sireci SG. The construct of content validity. Soc. Indic. Res. 1998;45(1):83–117. DOI: https://doi.org/10.1023/A:1006985528729

Downloads

Publicado

2023-02-01

Como Citar

1.
Silva JA, Barbosa Filho VC, Leal DB, Squarcini CFR, Silva KS da. Avaliação de programa de atividade física para escolares: desenvolvimento e validação de instrumento. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 1º de fevereiro de 2023 [citado 21º de junho de 2024];27:1-11. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14912

Edição

Seção

Artigos Originais