Distance training for professionals in the Academia das Cidades and Academia de Saúde Programs in Pernambuco

  • Emmanuelly Correia de Lemos Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Brasil. http://orcid.org/0000-0003-1450-6160
  • Thassia Christina Azevedo da Silva  Gerência de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4948-7935
  • Neuza Buarque de Macêdo Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3401-6417
  • Mateus Gustavo Brainer Programa Academia da Cidade. Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0539-390X
  • Sandra Luzia Barbosa de Souza Gerência de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0054-2497
  • Célia Maria Borges da Silva Santana Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco. Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1926-6418

Resumo

O objetivo desse estudo foi descrever a experiência de desenvolvimento do curso de aperfeiçoamento em ações estratégicas para profissionais dos programas Academia das Cidades e da Saúde, realizado pela Escola de Governo em Saúde Pública, em conjunto com a equipe técnica dos Programas na Secretaria Estadual de Saúde e na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, ambas de Pernambuco. Para isso, utilizou-se o formato de relato de experiência. O curso foi desenvolvido na modalidade a distância, em três etapas: planejamento, desenvolvimento e avaliação. Para descrição da experiência foram utilizadas as atas de reuniões, os relatórios dos tutores, os arquivos online de monitoramento do curso e as avaliações discentes. O curso foi ofertado em 2019, na primeira macrorregião de saúde do Estado. Dos 156 profissionais matriculados no curso, e que atuavam nos Programas, 100 concluíram e avaliaram positivamente o curso, principalmente no que se refere as transformações em suas práticas de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Pernambuco PCP. Decreto nº 31.140 de 6 de dezembro de 2007. Institui o Programa Academia das Cidades no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências. Diário Oficial de Pernambuco, Recife, PE, 07 dez. 2007. Nº 230, p. 3. 2.

Brasil. Portaria GM/MS nº 2.681, 7 de novembro de 2013. Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial [da] União. Brasília, p37, 8 nov 2013. Seção 1.

Lemos EC, Paes IMBS, Abath MB, Brainer MGF, Lima JIAF. Monitoramento do Programa

Academia das Cidades e da Saúde: a experiência de Pernambuco. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2015;20(2):203-7.

Pernambuco. Lei nº 15.066 - Criação da Unidade Técnica Escola de Governo em Saúde – ESPPE – Diário Oficial [do] Estado [de] Pernambuco. Recife, 4 set 2013, p.5.

Pernambuco. Governo do Estado. Secretaria de Saúde. A educação como elemento transformador do trabalho em saúde: formação em saúde pública no SUS em Pernambuco. Recife: Editora Cromos; 2019.

Pernambuco. Governo do Estado de Pernambuco. Secretaria de Saúde. Plano de educação permanente em saúde de Pernambuco. Recife. 2018.

Brasil. Política Nacional de Promoção da Saúde. Portaria GM/MS no 2446, 11 de novembro de 2014. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, n. 220, p.68-70, 13 nov. 2014. Seção 1.

Cruz JR, Lima DCP. Trajetória da educação a distância no Brasil: políticas, programas e ações nos últimos 40 anos. J. Polit. Educ. 2019;13(13): 1-19.

Batista MVV, Pinheiro CD. Contribuições para desmistificação da educação a distância. Revista de Pesquisa Interdisciplinar. 2019;4(1):4004-14.

Minayo MCS, Minayo-Gomez C. Difíceis e necessárias relações entre métodos quantitativos e qualitativos. (no prelo na Fiocruz, na coletânea organizada por Paulette Goldemberg). 2002.

Vargas FMA, Trindade MCN, Gouveia GDA. Farias MR. A educação a distância na qualificação de profissionais para o sistema único de saúde: meta estudo. Trab. Educ. Saúde. 2016;14(3):849-70.

Oiveira DCR, Brito ALS, Tassitano RM. Profile of professionals working in physical activity interventions within programs in the primary health care system in the State of Pernambuco. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(5):442-51.

Loch MR, Dias DF, Rech CR. Apontamentos para a atuação do Profissional de Educação Física na Atenção Básica à Saúde: um ensaio. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2019;24:1-5.

Dias FAO, Silva MAS. O uso das ferramentas na educação a distância e o papel do tutor. Rev. Psic. 2016;10(30):16-33.

Ceccim, RB, Feuerwerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis: Rev. Saúde Col. 2004;14(1):41-65.

Publicado
31-12-2020
Seção
Experiências Curriculares Inovadoras em Atividade Física e Saúde