Validação de tecnologia educacional para implementar um programa comunitário na saúde pública

  • Lisandra Maria Konrad Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-8863-4862
  • Cezar Grontowski Ribeiro Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Instituto Federal do Paraná, Departamento de Educação Física. Palmas, Paraná, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0640-3110
  • Camila Tomicki Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.. https://orcid.org/0000-0002-3784-1570
  • Tânia Rosane Bertoldo Benedetti Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.. https://orcid.org/0000-0002-2035-5082
Palavras-chave: Capacitação em serviço, Ciência da implementação, Profissional da saúde, Saúde pública, Tecnologia em saúde

Resumo

O objetivo do estudo foi validar o treinamento on-line para implementar o Programa Vida Ativa Melhorando a Saúde “VAMOS”, versão 3.0, na Atenção Primária à Saúde. Participaram 48 profissionais (especialistas = 22; profissionais da saúde = 26) que utilizaram o Suitability Assessment of Materials – SAM para avaliar a adequação do material e o System Usability Scale – SUS para a usabilidade do treinamento. As análises incluíram o Índice de Validade de Conteúdo (IVC ≥ 0,75) e Coeficiente Kappa (k = ≥ 0,61). A adequação do material (SAM = 92,92 ± 4,60; 95,59 ± 4,59) e a usabilidade (SUS = 96,14 ± 5,83; 97,40 ± 3,24) apresentaram escores gerais altos para os dois grupos de avaliadores. O IVC (> 0,80) e a consistência interna (k = 0,60 a 0,77) mostraram percentuais de concordância entre 70 e 84%. Assim, o treinamento on-line foi validado para capacitar profissionais da saúde para implementação do Programa VAMOS. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisandra Maria Konrad, Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998), Especialização em Educação Física na Área da Atividade Física Relacionada a Saúde pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000), Especialização Multiprofissional em Saúde da Família na Atenção Básica pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013) e Mestrado em Educação Física na Área da Atividade Física Relacionada a Saúde pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005). Atualmente Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UFSC; Membro do Núcleo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde (NuPAF). Tem experiência na área da atividade física relacionada à saúde, atuando principalmente com os seguintes temas: saúde pública, promoção da saúde, programas e promoção da atividade física no SUS.

Referências

World Health Organization. Noncommunicable diseases progress monitor 2017 [Internet]. [citado em 2019 Dez 17] Disponível em: http://www.who.int/nmh/publications/en/.

Wolker SM, Sandreschi OS, Tomicki C, Konrad LM, Quadros NE, Ribeiro CG, et al. Monitoring the health academy program from 2015 to 2017. Rev Andal Med Deporte. 2020;13(1):16-20.

Ferreira RW, Caputo EL, Häfele CA, Jerônimo JS, Florindo AA, Knuth AG et al. Acesso aos programas públicos de atividade física no Brasil: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Cad Saúde Pública. 2019;35(2):e00008618.

Schneider LR, Pereira RPG, Ferraz L. A prática baseada em evidência no contexto da Atenção Primária à Saúde. Saúde Debate. 2018;42(118):594-605.

Benedetti TRB, Manta SW, Gomez LSR, Rech CR. Logical model of a behavior change program for community intervention - Active Life Improving Health - VAMOS. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2017; 22(3):309-13.

Meurer ST, Lopes ACS, Almeida FA, Mendonça RD, Benedetti TRB. Effectiveness of the VAMOS strategy for increasing physical activity and healthy dietary habits: a randomized controlled community trial. Health Educ Behav. 2019;46(3):406-16.

Konrad LM, Tomicki C, Ribeiro CG, Bezerra JB, Maciel EC, Rech CR, et al. Length of stay in a behavior change program in primary health care: “VAMOS” Program. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2019;24:e0090.

José HPM, Konrad LM, Ribeiro CG, Benedetti, TRB. Validação do treinamento online para multiplicadores do Programa Vida Ativa melhorando a Saúde (VAMOS). J Phys Educ. 2019;30:e3040.

Santos AF, Fonseca DS, Araújo LL, Procópio CSD, Lopes EAS, Lima AMLD, et al. Incorporação de tecnologias de informação e comunicação e qualidade na atenção básica em saúde no Brasil. Cad Saúde Pública. 2017;33(5):e00172815.

Souza CS, Turrini RNT, Poveda VB. Tradução e adaptação do instrumento “Suitability Assessment of Materials” (SAM) para o português. Rev Enferm UFPE on line. 2015;9(5):7854-61.

Tenório JM, Cohrs FM, Sdepanian VL, Pisa IT, Marin HF. Desenvolvimento e avaliação de um protocolo eletrônico para atendimento e monitoramento do paciente com doença celíaca. RITA. 2010;17(2):211-220.13.

Doak C, Doak L, Root J. Assessing suitability of materials. In: Teaching patients with low literacy skills (2 Ed.). Philadelphia (PA): J.B.Lippincott. 1996; 4 chapter:41-60.

Bangor A, Kortum PT, Miller JT. An empirical evaluation of the System Usability Scale. Int J Hum-Comput Int. 2008:24(6):574-94.

Leite SS, Áfio ACE, Carvalho LV, Silva JM, Almeida PC, Pagliuca LMF. Construction and validation of an educational content validation instrument in health. Rev Bras Enferm. 2018;71(Suppl 4):1635-41.

Lewis JR. The System Usability Scale: past, present, and future. Int J Hum–Comput Int. 2018;34(7):577-90.

Mathieson A, Grande G, Luker K. Strategies, facilitators and barriers to implementation of evidence-based practice in community nursing: a systematic mixed-studies review and qualitative synthesis. Prim Health Care Res Dev. 2018;20(e6):1-11.

Publicado
10-12-2020
Seção
Experiências Curriculares Inovadoras em Atividade Física e Saúde