A experiência de curso de capacitação para promoção da atividade física na atenção primária à saúde

Autores

  • Luiz Guilherme Grossi Porto Universidade de Brasília, Programa de Pós- Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6240-1614
  • Lucas Ugliara Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8362-895X
  • Rafael Rodrigues da Cunha Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil.
  • Marco Antonio Caetano Junior Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil.
  • Rodrigo Souza Celes Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3107-9068
  • Amilton Vieira Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6027-4367

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.27e0262

Palavras-chave:

Atenção básica à saúde, Formação Profissional em Saúde, Currículo, Educação continuada, Capacitação de recursos humanos em saúde

Resumo

Evidências demonstram a importância de estratégias de promoção da atividade física no contexto da atenção primária à saúde (APS) e a carência de qualificação profissional específica nesta área. Objetivou-se relatar a experiência de um curso básico de capacitação para condução de aulas coletivas junto ao estudo piloto do Programa Brasil em Movimento, do Ministério da Saúde (PBM). O curso abrangeu oito temas com carga de 22 horas oferecidas remotamente. Em 21 dias de divulgação inscreveram-se 630 pessoas, com média de 439 visualizações das aulas. Os discentes avaliaram o curso positivamente (95%) e o recomendariam (93%). Observou-se que: 1- o número de inscritos e de visualizações das aulas indicam interesse por este tipo de qualificação; 2- a oferta do curso de modo remoto foi adequada para atingir interessados de todas regiões do Brasil; 3- a oferta desse tipo de capacitação parece ser fundamental, frente à heterogeneidade de formação do público alvo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Guilherme Grossi Porto, Universidade de Brasília, Programa de Pós- Graduação da Faculdade de Educação Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Prof. Adjunto da Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília - UnB e Professor colaborador do Laboratório Cardiovascular da Faculdade de Medicina da UnB

Referências

Malta DC, Castro AM, Gosch CS, Cruz DKA, Bressan A, Nogueira JD, et al. A Política Nacional de Promoção da Saúde e a agenda da atividade física no contexto do SUS. Epidemiol Serv Saúde. 2009;18(1):79–86.

Becker L, Gonçalves P, Reis R. Programas de promoção da atividade física no Sistema Único de Saúde brasileiro: revisão sistemática. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(2):110–22.

Silva PSC. Physical Education Professionals in the Unified Health System: an analysis of the brazilian registry of health institutions between 2013 and 2017. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2018;23:1–8.

Ministério da Saúde, Brasil. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia de Atividade Física para a população brasileira: Brasil. 2021; Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_atividade_fisica_populacao_brasileira.pdf [2021 agosto].

WHO - World Health Organization. WHO guidelines on physical activity and sedentary behaviour. Geneva: World Health Organization; 2020; disponível em https://www.who.int/publications/i/item/9789240015128 [2022 janeiro].

WHO - World Health Organization. Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health. Switzerland. 2004; disponível em https://www.who.int/publications/i/item/9241592222 [2021 agosto].

Costa LC, Junior CAFL, Costa EC, Feitosa MC, Aguiar JB, Gurgel LA. Formação profissional e produtividade em saúde coletiva do profissional de educação física. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2012;17(2):107–13.

Loch M. Abordando Saúde Coletiva no curso de bacharelado em Educação Física: Relato de experiência. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(3):285–90.

Silva VT, Nicoes CR, Knuth AG. Saúde coletiva e saúde pública no currículo dos cursos de educação física: uma revisão sistemática. Pensar a Prática. 2021;24:e61062.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças. Vigitel - Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasil. 2020; Disponível em https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/27/vigitel-brasil-2019-vigilancia-fatores-risco.pdf [2021 Agosto].

2018 Physical Activity Guidelines Advisory Committee. Physical Activity Guidelines Advisory Committee Scientific Report. Department of Health and Human Services. United States of America. 2018; Disponível em https://health.gov/sites/default/files/2019-09/PAG_Advisory_Committee_Report.pdf [2021 julho].

Borges T, Barros F, Mielke G, Parra D, Siqueira F, Hallal P. Conhecimento de profissionais que atuam em Unidades Básicas de Saúde no Brasil sobre a associação entre inatividade física e morbidades. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2017;22(5):450–6.

Rombaldi AJ, Borges TT, Canabarro LK, Corrêa LQ, Neutzling MB. Conhecimento de professores de educação física sobre fatores de risco para doenças crônicas de uma cidade do sul do Brasil. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2012;14:61–72.

Lee I-M, Shiroma EJ, Lobelo F, Puska P, Blair SN, Katzmarzyk PT. Impact of Physical Inactivity on the World’s Major Non-Communicable Diseases. Lancet. 2012;380(9838):219–29.

Seus TLC, Silveira DS, Tomasi E, Thumé E, Facchini LA, Siqueira FV. Family Health Support Center: health promotion, physical activity, and chronic diseases in Brazil - national PMAQ survey 2013. Epidemiol Serv Saúde. 2019;28 (2):e2018308.

Publicado

2022-07-16

Como Citar

1.
Porto LGG, Ugliara L, Cunha RR da, Caetano Junior MA, Celes RS, Vieira A. A experiência de curso de capacitação para promoção da atividade física na atenção primária à saúde. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 16º de julho de 2022 [citado 14º de agosto de 2022];27:1-5. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14717

Edição

Seção

Experiências Curriculares Inovadoras em Atividade Física e Saúde