Excesso de peso e deslocamento para a escola em adolescentes de Uruguaiana/RS

Autores

  • Anne Streb Universidade Federal do Pampa
  • Susane Graup Universidade Federal do Pampa
  • Mauren Bergmann Universidade Federal do Pampa
  • Gabriel Bergmann Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.v.21n3p255-262

Palavras-chave:

Índice de massa corporal, Sedentarismo, Jovens

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar as associações entre a forma de deslocamento até a escola e frequência de excesso de peso em adolescentes. Este estudo descritivo foi realizado com 1.455 escolares (50,9% do sexo feminino) de 10 a 17 anos selecionados aleatoriamente em múltiplas etapas. Para caracterizar o deslocamento à escola utilizou-se um questionário em que os alunos indicaram a forma de transporte até a mesma (ativo ou passivo). O excesso de peso foi considerado pela categorização do índice de massa corporal por proposta internacional. Os dados foram descritos frequências absolutas e relativas e o intervalo de confiança de 95%. As análises de associação bruta foram realizadas pelo teste Qui-Quadrado. As análises ajustadas foram realizadas pela regressão logística binária e a magnitude das associações foi medida pela Odds Ratio (OR). O nível de significância adotado foi de 5%. Do total da amostra, 75,7% (IC95%: 73,5-77,9) apresentou deslocamento ativo até a escola e 27,8% (IC95%: 25,4-30,2) foi classificado com excesso de peso. A análise de regressão, com ajuste para sexo, idade, nível socioeconômico e zona de moradia, indicou que adolescentes que realizam o deslocamento para a escola de forma passiva tem mais chance (OR:1,50; IC95%:1,12-2,01) de apresentarem excesso de peso.  Quando a análise é estratificada por sexo, a associação permanece significativa apenas entre as meninas (p<0,05). Os resultados obtidos sugerem que realizar deslocamento passivo até a escola está associado ao excesso de peso em adolescentes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anne Streb, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Susane Graup, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Mauren Bergmann, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Gabriel Bergmann, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-05-01

Como Citar

1.
Streb A, Graup S, Bergmann M, Bergmann G. Excesso de peso e deslocamento para a escola em adolescentes de Uruguaiana/RS. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 1º de maio de 2016 [citado 27º de novembro de 2021];21(3):255-62. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/5469

Edição

Seção

Artigos Originais