Associação entre atividade física e tempo de tela com o nível socioeconômico em adolescentes

Autores

  • Tatiane Silva Universidade Federal do Pampa
  • Helter Oliveira Universidade Federal do Pampa
  • Mauren Bergmann Universidade Federal do Pampa
  • Gabriel Bergmann Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.v.20n5p503

Palavras-chave:

Atividade motora, Sedentarismo, Classe social

Resumo

Apesar da reconhecida importância da atividade física (AF) para saúde, evidências sugerem que o tempo em atividades sedentárias tem aumentado entre adolescentes, podendo estar associado a diversos fatores, entre eles os socioeconômicos. O objetivo do estudo foi identificar as associações entre AF, comportamento sedentário e o nível socioeconômico (NSE) em adolescentes. O estudo contou com uma amostra de 1.455 adolescentes (741 moças) de 10 a 17 anos selecionados aleatoriamente em escolas públicas de Uruguaiana/RS. A AF foi estimada pelo PAQ-C e PAQ-A e os adolescentes foram classificados como suficientemente ou insuficientemente ativos. O comportamento sedentário foi considerado a partir do autorrelato (questionário) sobre o tempo de tela (tempo médio diário assistindo televisão, usando computador, videogame e outros equipamentos eletrônicos). Os adolescentes foram divididos em dois grupos: tempo de tela de até três horas/dia e superior a três horas/dia. O NSE foi considerado conforme o Critério de Classificação Econômica Brasil. Para a análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva, o teste Qui-quadrado para tendência e a regressão logística binária. A AF não apresentou associação com o nível socioeconômico (p=0,562), inclusive quando a análise foi estratificada por sexo (rapazes p=0,360; moças p=0,309). O tempo de tela se associou ao nível socioeconômico apenas nos rapazes (p=0,043). Adolescentes do sexo masculino de nível socioeconômico mais alto têm mais chance (OR:1,83; IC95%:1,02-3,28) de permanecer mais de três horas/dia em atividades sedentárias. O nível socioeconômico está diretamente associado ao tempo de tela em adolescentes do sexo masculino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Silva, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Helter Oliveira, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Mauren Bergmann, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Gabriel Bergmann, Universidade Federal do Pampa

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência, Curso de Licenciatura em Educação Física, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil.

Downloads

Publicado

2015-09-01

Como Citar

1.
Silva T, Oliveira H, Bergmann M, Bergmann G. Associação entre atividade física e tempo de tela com o nível socioeconômico em adolescentes. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 1º de setembro de 2015 [citado 27º de novembro de 2021];20(5):503. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/5465

Edição

Seção

Artigos Originais