Perspectivas sobre mobilidade urbana na promoção da atividade física no contexto dos deslocamentos no Brasil

Autores

  • Viviane Nogueira de Zorzi Federal University of Santa Catarina, Postgraduate Program in Physical Education, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6555-8772
  • Rildo de Souza Wanderley Júnior School of Arts, Sciences, and Humanities at the University of São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6141-4483
  • Bianca Mitie Onita University of São Paulo, Postgraduate Program in Public Health Nutrition, São Paulo, São Paulo, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4574-8242
  • Alexandre Augusto de Paula da Silva Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Postgraduate Program in Health Sciences, Curitiba, Paraná, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0442-4938
  • Alice Tatiane da Silva Federal University of Paraná, Postgraduate Program in Physical Education, Curitiba, Paraná, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9286-4345
  • Elaynne Silva de Oliveira University of São Paulo, Postgraduate Program in Public Health Nutrition, São Paulo, São Paulo, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0018-9459
  • Guilherme Stefano Goulardins University of São Paulo, Postgraduate Program in Public Health Nutrition, São Paulo, São Paulo, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4960-3278
  • Adriano Akira Hino Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Postgraduate Program in Health Sciences, Curitiba, Paraná, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1649-9419

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.28e0310

Palavras-chave:

Planejamento de cidades, Cidade saudável, Ambiente construído, Mobilidade ativa, Deslocamento

Resumo

Apesar do Brasil apresentar importante avanço em aspectos regulatórios relacionados ao planejamento das cidades, o crescimento desordenado das cidades brasileiras dificulta a realização de mudanças que reflitam em maiores oportunidades no deslocamento ativo da população. Este ensaio foi elaborado com objetivo de refletir sobre as oportunidades para melhorias no ambiente urbano para a promoção da atividade física no contexto do deslocamento no Brasil. Nessa perspectiva, o estudo identificou políticas que permitem o crescimento ordenado e favoreça o deslocamento ativo nas cidades, além de sugerir o uso de indicadores para avaliação e monitoramento do desenvolvimento, com especial foco no deslocamento ativo. Ademais, é imprescindível que o processo de planejamento urbano seja adaptado e aprimorado considerando as necessidades dos municípios brasileiros e com aproximação da sociedade civil. Assim, será possível verificar as modificações no ambiente urbano e seu impacto no deslocamento ativo da população, estimulando a criação de cidades saudáveis e sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andersen LB, Mota J, di Pietro L. Update on the global pandemic of physical inactivity. Lancet. 2016;388(10051):1255-6.

Katzmarzyk PT, Friedenreich C, Shiroma EJ, Lee IM. Physical inactivity and non-communicable disease burden in low-income, middle-income and high-income countries. Br J Sports Med. 2022;56(2):101–6.

Heath GW, Parra DC, Sarmiento OL, Andersen LB, Owen N, Goenka S, et al. Evidence-based intervention in physical activity: Lessons from around the world. Lancet. 2012;380(9838):272-81.

Giles-Corti B, Vernez-Moudon A, Reis R, Turrell G, Dannenberg AL, Badland H, et al. City planning and population health: a global challenge. Lancet. 2016;388(10062):2912-24.

Malta D, Andrade S, Santos M, Rodrigues G, Mielke G. Tendências dos indicadores de atividade física em adultos: Conjunto de capitais do Brasil 2006-2013. Rev Bras de Ativ Fís Saúde. 2015;20(2):141-51.

Kerr J, Emond JA, Badland H, Reis R, Sarmiento O, Carlson J, et al. Perceived neighborhood environmental attributes associated with walking and cycling for transport among adult residents of 17 cities in 12 countries: The IPEN study. Environ Health Perspect. 2016;124(3):290–8.

IBGE. Censo demográfico 1940-2010; Disponível em: <https://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=POP122> [2022 novembro].

Costa MA. O Estatuto da Cidade e a Habitat III: um balanço de quinze anos da política urbana no Brasil e a nova agenda urbana. Brasília: Ipea, 2016.

Brasil. Lei n. 10.257. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Estatuto da Cidade; 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10257.htm> [2022 novembro].

Brasil. Plano Diretor Participativo. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Programas Urbanos/Coordenação Geral de Raquel Rolnik, Benny Schasberg e Otilie Macedo Pinheiro; 2005.

Brasil. Resolução Recomendada ConCidades nº 9. Recomenda e orienta os municípios acerca da obrigatoriedade de aprovação dos planos diretores no prazo legal de 10 de outubro de 2006. Diário Oficial da União. 2006; 133, seção 01:60.

Brasil. Lei n. 12.587. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis nos 3.326, de 3 de junho de 1941, e 5.405, de 13 de abril de 1943, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e das Leis nos 5.917, de 10 de setembro de 1973, e 6.261, de 14 de novembro de 1975; e dá outras providências. Diário Oficial da União. 2012; seção 1:1-3.

Giles-Corti B, Moudon AV, Lowe M, Adlakha D, Cerin E, Boeing G, et al. Creating healthy and sustainable cities: what gets measured, gets done. Lancet Glob Health. 2022;10(6):e782–5.

Lowe M, Adlakha D, Sallis JF, Salvo D, Cerin E, Moudon AV, et al. City planning policies to support health and sustainability: an international comparison of policy indicators for 25 cities. Lancet Glob Health. 2022;10(6):e882–94.

Smith M, Hosking J, Woodward A, Witten K, MacMillan A, Field A, et al. Systematic literature review of built environment effects on physical activity and active transport - an update and new findings on health equity. Int J Behav Nutr Phys Act. 2017;14(1):158-84.

Downloads

Publicado

2023-11-27

Como Citar

1.
Zorzi VN de, Wanderley Júnior R de S, Onita BM, Silva AA de P da, Silva AT da, Oliveira ES de, et al. Perspectivas sobre mobilidade urbana na promoção da atividade física no contexto dos deslocamentos no Brasil. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 27º de novembro de 2023 [citado 3º de março de 2024];28:1-6. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/15052

Edição

Seção

Ensaios Teóricos em Atividade Física e Saúde