Descrevendo a atividade física em espaços públicos abertos no Brasil: Programa Cidade Ativa, Cidade Saudável

Autores

  • Alice Tatiane da Silva Federal University of Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Curitiba, Paraná, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-9286-4345
  • Letícia Pechnicki dos Santos Federal University of Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Curitiba, Paraná, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-4443-5191
  • Iazana Garcia Custódio Federal University of Technology – Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Research Group on Environment, Physical Activity, and Health. Curitiba, Paraná, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-8196-1692
  • Talita Chrystoval Truchym Federal University of Technology – Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Research Group on Environment, Physical Activity, and Health. Curitiba, Paraná, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-7797-4706
  • Inácio Crochemore-Silva Federal University of Pelotas. Postgraduate Program in Epidemiology. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brazil. Federal University of Pelotas, Postgraduate Program in Physical Education. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brazil. https://orcid.org/0000-0001-5390-8360
  • Cassiano Ricardo Rech Federal University of Santa Catarina, Postgraduate Program in Physical Education, Research and Study Group in Urban Environment and Health. Florianopolis, Santa Catarina, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-9647-3448
  • Adalberto Aparecido dos Santos Lopes Federal University of Minas Gerais. Observatory for Urban Health in Belo Horizonte. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil. https://orcid.org/0000-0002-3001-6412
  • Ciro Romelio Rodriguez-Añez Federal University of Technology – Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Research Group on Environment, Physical Activity, and Health. Curitiba, Paraná, Brazil. https://orcid.org/0000-0001-8430-7621
  • Rogério César Fermino Federal University of Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Curitiba, Paraná, Brazil. Federal University of Technology – Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Research Group on Environment, Physical Activity, and Health. Curitiba, Paraná, Brazil https://orcid.org/0000-0002-9028-4179

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.28e0305

Palavras-chave:

Atividade motora, Áreas verdes, Parques recreativos, Técnicas de observação do comportamento, Promoção da saúde

Resumo

O objetivo deste estudo foi descrever a atividade física (AF) em espaços públicos abertos (EPA) em uma cidade de médio porte do Brasil. O System for Observing Play and Recreation in Communities (SOPARC) foi utilizado para avaliar uma amostra representativa de frequentadores de 10 EPA que receberam ações do programa Cidade Ativa, Cidade Saudável. Os locais foram avaliados quatro dias da semana (terça-feira, quarta-feira, sábado, domingo) em quatro horários (8h, 10h, 14h, 16h). A proporção de frequentadores por sexo, faixa etária, cor de pele e nível de AF foi comparada entre os EPA pelo teste do qui-quadrado para heterogeneidade no software STATA (p < 0,05). Como resultados principais, foram realizados 32.768 scans em 64 áreas-alvo e 8.634 frequentadores foram identificados. Foi observada maior proporção de pessoas do sexo masculino (58%), adultos (38%), de cor de pele branca (97%) e em AF de intensidade leve ou moderada (76%). Com exceção da cor da pele, houve diferença significante na proporção das demais variáveis entre os EPA (p < 0,05). Em conclusão, os EPA são mais comumente utilizados por homens, pessoas adultas, de cor de pele branca e para a prática de AF de intensidade leve e moderada. Com base nos resultados, os gestores do programa poderiam realocar recursos para aumentar a utilização e a AF em cada local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério César Fermino, Federal University of Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Curitiba, Paraná, Brazil. Federal University of Technology – Paraná, Postgraduate Program in Physical Education. Research Group on Environment, Physical Activity, and Health. Curitiba, Paraná, Brazil

Possui Graduação, Especialização, Mestrado e Doutorado em Educação Física e Pós-Doutorado em Atividade Física e Saúde Pública. Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), leciona no curso de Graduação em Bacharelado em Educação Física e no Programa de Pós-Graduação em Educação Física, como Professor permanente e é orientador de Mestrado (linha de pesquisa em Atividade Física e Saúde). É um dos coordenadores do Grupo de Pesquisa em Ambiente, Atividade Física e Saúde (GPAAFS/UTFPR), integrante do Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Qualidade de Vida (GPAQ/PUCPR), membro da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde (SBAFS) e da Associação Brasileira de Ensino da Educação Física para a Saúde (ABENEFS). Atua também como revisor de periódicos nacionais e internacionais na área de saúde pública, atividade física e exercício físico. Possui experiência na área de Educação Física com ênfase em atividade física e saúde, epidemiologia da atividade física, aptidão física relacionada com a saúde, promoção da atividade física em comunidades, avaliação e prescrição de exercícios para indivíduos aparentemente saudáveis e em condições especiais de saúde. Atualmente, ministra na Graduação as disciplinas de "Epidemiologia da Atividade Física", "Atividade Física para Populações Especiais", "Seminários em Saúde Coletiva: Atividade Física e Saúde". Na Pós-Graduação ministra as disciplinas de "Métodos Quantitativos de Pesquisa Científica" e "Atividade Física, Aptidão Física e Saúde".

 

Referências

Global status report on physical activity 2022. Geneva: World Health Organization; 2022. Available in: www.who.int/teams/health-promotion/physical-activity/global-status-report-on-physical-activity-2022 [2022 november].

Katzmarzyk PT, Friedenreich C, Shiroma EJ, Lee IM. Physical inactivity and non-communicable disease burden in low-income, middle-income and high-income countries. Br J Sports Med. 2022;56(2):101-6.

Costa-Santos A, Willlumsen J, Meheus F, Ilbawi A, Bull FC. The cost of inaction on physical inactivity to healthcare systems. Lancet Glob Health. 2023;11(1):e32-9.

Global action plan on physical activity 2018–2030: more active people for a healthier world. Geneva: World Health Organization; 2018. Available in: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/272722/9789241514187-eng.pdf [2022 november].

Ding D, Ramirez-Varela A, Bauman AE, Ekelund U, Lee IM, Heath G, et al. Towards better evidence-informed global action: lessons learnt from the Lancet series and recent developments in physical activity and public health. Br J Sports Med. 2020;54(8):462-8.

Reis RS, Salvo D, Ogilvie D, Lambert EV, Goenka S, Brownson RC. Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving. Lancet. 2016;388(10051):1337-48.

Rech CR, Pazin J, Rodrigues EQ, Paiva-Neto FT, Knebel MTG, Coco TGS, et al. How can public open spaces contribute to physical activity promotion? Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2023; 28:e0295.

Hino AAF, Reis RS, Ribeiro IC, Parra DC, Brownson RC, Fermino RC. Using observational methods to evaluate public open spaces and physical activity in Brazil. J Phys Act Health. 2010;7(Suppl 2):146-54.

Parra DC, McKenzie TL, Ribeiro IC, Hino AAF, Dreisinger M, Coniglio K, et al. Assessing physical activity in public parks in Brazil using systematic observation. Am J Public Health. 2010;100(8):1420-6.

Sarmiento OL, Rios AP, Paez DC, Quijano K, Fermino RC. The Recreovía of Bogota, a community-based physical activity program to promote physical activity among women: baseline results of the natural experiment al Ritmo de las Comunidades. Int J Environ Res Public Health. 2017;14(6):633.

Silva AT, Santos LP, Rodriguez-Añez CR, Fermino RC. Logic Model of “Cidade Ativa, Cidade Saudável Program” in São José dos Pinhais, Brazil. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2021;26:e0193.

Custódio IG, Lopes AAS, Kopp D, Silva AT, Chaves RN, Rodriguez-Añez CR, et al. Pattern of use of public open spaces and physical activity levels in São José dos Pinhais, Brazil. Rev Bras Ciênc Esporte. 2021;43:e011220.

Koohsari MJ, Mavoa S, Villianueva K, Sugiyama T, Badland H, Kaczynski AT, et al. Public open space, physical activity, urban design and public health: concepts, methods and research agenda. Health Place. 2015;33:75-82.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. 2016. Available in: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf. [2022 august].

Custódio IG. Qualidade dos Núcleos de Esporte e Lazer e sua associação com o perfil e o nível de atividade física dos frequentadores em São José dos Pinhais, Paraná [dissertação]. Curitiba: Universidade Tecnológica Federal do Paraná; 2019.

McKenzie TL, Cohen DA, Sehgal A, Williamson S, Golinelli D. System for Observing Play and Recreation in Communities (SOPARC): reliability and feasibility measures. J Phys Act Health. 2006;3(Suppl 1): 208-22.

McKenzie TL, Cohen DA. SOPARC (System for Observing Play and Recreation in Communities). Description and procedures manual. 2006. Available in: https://activelivingresearch.org/sites/activelivingresearch.org/files/SOPARC_Protocols.pdf [2022 november].

Evenson KR, Jones SA, Holliday KM, Cohen DA, McKenzie TL. Park characteristics, use, and physical activity: a review of studies using SOPARC (System for Observing Play and Recreation in Communities). Prev Med. 2016;86:153-66.

Cohen DA, Setodji C, Evenson KR, Ward P, Lapham S, Hillier A, et al. How much observation is enough? refining the administration of SOPARC. J Phys Act Health. 2011;8(8):1117-23.

Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Qualidade de Vida. SOPARC (Sistema de Observação de Atividades Físicas e Recreativas na População). Manual descritivo de procedimentos. Available in: https://gpaq.com.br/wp-content/uploads/2013/11/Protocolo-SOPARC-e-SOPLAY.pdf. [2017 march].

Ainsworth BE, Haskell WL, Herrmann SD, Meckes N, Bassett DR, Tudor-Locke C, et al. 2011 compendium of physical activities: a second update of codes and MET values. Med Sci Sports Exerc. 2011;43(8):1575-81.

Bull FC, Al-Ansari SS, Biddle S, Borodulin K, Buman MP, Cardon G, et al. World Health Organization 2020 guidelines on physical activity and sedentary behaviour. Br J Sports Med. 2020; 54(24):1451-62.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Características étnico-raciais da população: classificações e identidades. Available in: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv63405.pdf. [2022 august].

Butte NF, Watson KB, Ridley K, Zakeri IF, McMurray RG, Pfeiffer KA, et al. A youth compendium of physical activities: activity codes and metabolic intensities. Med Sci Sports Exerc. 2018;50(2):246-56.

Santos MPM, Rech CR, Alberico CO, Fermino RC, Rios AP, David J, et al. Utility and reliability of an app for the System for Observing Play and Recreation in Communities (iSOPARC®). Meas Phys Educ Exerc Sci. 2016;20(2):93-8.

Walk Score®. Available in: https://www.walkscore.com/ [2022 august].

Camargo DM, Ramírez PC, Quiroga V, Ríos P, Fermino RC, Sarmiento OL. Physical activity in public parks of high and low socioeconomic status in Colombia using observational methods. J Phys Act Health. 2018;15(8):581-91.

Wendt A, Ricardo LIC, Costa CS, Knuth AG, Tenório MCM, Crochemore-Silva I. Socioeconomic and gender inequalities in leisure-time physical activity and access to public policies in Brazil From 2013 to 2019. J Phys Act Health. 2021;18(12):1503-10.

Crochemore-Silva I, Knuth AG, Mielke GI, Loch MR. Promotion of physical activity and public policies to tackle inequalities: considerations based on the Inverse Care Law and Inverse Equity Hypothesis. Cad Saude Publica. 2020;36(6):e00155119

Barata RB. Como e por que as desigualdades sociais fazem mal à saúde [on line]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 2009. Available in: https://static.scielo.org/scielobooks/48z26/pdf/barata-9788575413913.pdf [2022 august].

Downloads

Publicado

2023-08-01

Como Citar

1.
Silva AT da, Santos LP dos, Custódio IG, Truchym TC, Crochemore-Silva I, Rech CR, et al. Descrevendo a atividade física em espaços públicos abertos no Brasil: Programa Cidade Ativa, Cidade Saudável. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 1º de agosto de 2023 [citado 3º de março de 2024];28:1-11. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/15049

Edição

Seção

Artigos Originais