Associação entre violência e prática de atividades físicas: uma análise bibliométrica da produção científica na Web of Science

Autores

  • Phillipe Ferreira Rodrigues Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3722-4385
  • Vanessa Souza Mendonça Universidade Federal do Rio de Janeiro, Biblioteca do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7897-3705
  • Maxwel de Azevedo-Ferreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. Universidade do Grande Rio, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8790-6483
  • Alexandre Palma Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-4679-9191

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.28e0309

Palavras-chave:

Atividade física, Bibliometria, Violência

Resumo

Estudos bibliométricos na área da educação física ainda são relativamente raros, especialmente tratando-se das relações entre atividades físicas e violência. O objetivo desta pesquisa foi realizar uma análise bibliométrica da produção científica relacionada à associação entre violência e prática de atividades físicas. Foi realizada uma pesquisa na base de dados Web of Science, através de busca com palavras-chave adequadas e extração de dados a partir do software VantagePoint V.8. Trabalhou-se, ao final, com um total de 2.163 artigos. Os autores que mais produziram a respeito do tema foram James F. Sallis (EUA), Ester Cerin (Austrália), Billie Giles-Corti (Austrália). O primeiro autor aparece, ainda, como o mais citado. Os Estados Unidos aparecem como o país com maior produção científica, enquanto a University of California como a instituição que lidera as pesquisas sobre o tema. A área de pesquisa mais frequente nas publicações sobre o tema foi a Public, Environmental & Occupational Health. Foi possível concluir que existe uma rede de pesquisadores organizados, sendo James F. Sallis o pesquisador central. Os estudos ocorrem predominantemente, em países mais desenvolvidos e com menores taxas de homicídios, enquanto os países da América Latina, com as maiores taxas de homicídios, desenvolveram poucas pesquisas sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Phillipe Ferreira Rodrigues, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Mestre em Atividade Física e Saúde

Educador Físico do Centro de Referência em Obesidade

Referências

Blond K, Brinkløv CF, Ried-Larsen M, Crippa A, Grøntved A. Association of high amounts of physical activity with mortality risk: a systematic review and meta-analysis. Br J Sports Med. 2020;54(20):1195–201.

Warburton DE, Charlesworth S, Ivey A, Nettlefold L, Bredin SS. A systematic review of the evidence for Canada’s Physical Activity Guidelines for Adults. Int J Behav Nutr Phys Act. 2010;7(1):39.

Marmot M, Bell R. Fair society, healthy lives. Public Health. 2012;126:S4–10.

Marmot M, Bell R. Social determinants and non-communicable diseases: time for integrated action. BMJ. 2019;364:l251.

Adams TM. How chronic violence affects human development, social relations, and the practice of citizenship: A systemic framework for action. Woodrow Wilson Int Cent Sch Wash DC. 2017.

Dahlberg LL, Krug EG. Violência: um problema global de saúde pública. Ciênc Amp Saúde Coletiva. 2006;11:1163–78.

Krug EG, Mercy JA, Dahlberg LL, Zwi AB. The world report on violence and health. The lancet. 2002;360(9339):1083–8.

Schraiber LB, D’Oliveira AFPL, Couto MT. Violência e saúde: estudos científicos recentes. Rev Saúde Pública. 2006;40:112–20.

Job I. Bibliometria aplicada aos estudos do campo da Educação Física: confiabilidade, qualidade e relevância nas publicações. Motrivivência. 2018;30(54):18–34.

Araújo RF, Alvarenga L. A bibliometria na pesquisa científica da pós-graduação brasileira de 1987 a 2007. Encontros Bibli Rev Eletrônica Bibl e Ciênc Informação. 2011;16(31):51–70.

Cândido CM, Ferreira MA, Oliveira AP, Assis MR. Educação Física e Mídia: Estudo bibliométrico na Web of Science de 1945-2019. Mov Porto Alegre. 2021;27(0):27024.

Gama JCF, Neto AF, Santos W. Formação para atuação com o esporte: características bibliométricas e redes de colaboração. Mov Porto Alegre. 2021;27(0):27017.

Araújo CAA. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Quest. 2006;12(1):11–32.

Ferreira MA, Motta GS, Quintella RH. The Profile of Academic Research in Technology Supply. [online]; 2015 [citado 16 de outubro de 2020]; Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/22023

Chen X. The Declining Value of Subscription-based Abstracting and Indexing Services in the New Knowledge Dissemination Era. Ser Rev. 2010;36(2):79–85.

IPEN PROJECT. IPEN [Internet]. 2021 [citado 24 de dezembro de 2021]. Disponível em: http://www.ipenproject.org/

IPEN PROJECT. 2021 [citado 24 de dezembro de 2021]. Disponível em: http://www.ipenproject.org/members.html

Rebecca Puhl [Internet]. [citado 24 de dezembro de 2021]. Disponível em: https://scholar.google.com/citations?user=bcS5xUwAAAAJ&hl=en

Tavares WQ, Celerino VG. A Importância da Bibliometria Para a Indexação Automática. Folha Rosto. 2018;4(2):7–15.

Lorenc T, Clayton S, Neary D, Whitehead M, Petticrew M, Thomson H, et al. Crime, fear of crime, environment, and mental health and wellbeing: Mapping review of theories and causal pathways. Health Place. 2012;18(4):757–65.

Carroll-Scott A, Gilstad-Hayden K, Rosenthal L, Peters SM, McCaslin C, Joyce R, et al. Disentangling neighborhood contextual associations with child body mass index, diet, and physical activity: the role of built, socioeconomic, and social environments. Soc Sci Med 1982. 2013;95:106–14.

Caldeira TPR. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. Editora 34; 2000.

Borges D. O medo do crime na cidade do Rio de Janeiro: uma análise sob a perspectiva das crenças de perigo. Rio de Janeiro. Editora Appris; 2011.

Kessler G. El sentimiento de inseguridad. Sociol Temor Al Delito. 1º ed. 2ºimpr. Buenos Aires. Siglo Veintiuno Editores. 2015.

UNODC. Global Study on Homicide 2019. 2019.

Downloads

Publicado

2023-09-20

Como Citar

1.
Rodrigues PF, Mendonça VS, Azevedo-Ferreira M de, Palma A. Associação entre violência e prática de atividades físicas: uma análise bibliométrica da produção científica na Web of Science. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 20º de setembro de 2023 [citado 3º de março de 2024];28:1-8. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/15022

Edição

Seção

Artigos Originais