Mensuração da atividade física e comportamento sedentário: uma análise baseada em grupos de pesquisa

Autores

  • Marcelo Romanzini Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Londrina http://orcid.org/0000-0003-1355-331X
  • Danilo Rodrigues Pereira da Silva Universidade Federal de Sergipe, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, São Cristovão, Sergipe, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3995-4795
  • Luiza Isnardi Cardoso Ricardo Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1244-4501
  • José Cazuza Farias Júnior Universidade Federal da Paraíba, Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1082-6098
  • Arthur Oliveira Barbosa Universidade Federal da Paraíba, Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5976-7287
  • Shana Ginar da Silva Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Passo Fundo, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biomédicas, Curso de Medicina, Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1504-6936
  • Inácio Crochemore-Silva Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5390-8360
  • Ially Rayssa Dias Moura Universidade Federal da Paraíba, Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8210-2059
  • Alcides Prazeres Filho Universidade Federal da Paraíba, Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2661-090X
  • Jeffer Eidi Sasaki Universidade Federal do Triângulo Mineiro Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Uberaba, Minas Gerais, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-2083-4104
  • Felipe Fossati Reichert Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.12820/rbafs.27e0279

Palavras-chave:

Diretórios de pesquisadores, Atividade motora, Sedentarismo, Medições

Resumo

O presente estudo caracterizou os grupos de pesquisa brasileiros que possuem linhas de pesquisa voltadas à temática da mensuração da atividade física e/ou comportamento sedentário. Autores de artigos originais envolvendo desenvolvimento, adaptação, tradução e testagem de qualidade de medidas de instrumentos da atividade física/comportamento sedentário na população brasileira foram convidados a responder um instrumento online contendo 19 questões para a identificação de líderes e de características gerais dos grupos de pesquisa. Vinte e oito grupos de pesquisa foram identificados, sendo o pioneiro criado na década de 1970 e a maioria nas últimas duas décadas. Enquanto a região sudeste apresentou a maior concentração de grupos, foi identificada ausência de grupos nas regiões norte e centro-oeste. Os métodos de mensuração mais testados por estes grupos foram os subjetivos, predominantemente questionários (n = 24), seguidos pelos métodos objetivos por meio de acelerômetros (n = 18) e pedômetros (n = 9). Foram identificadas várias conexões (parcerias permanentes com outros grupos/instituições) em nível nacional e internacional, especialmente com países da América do Norte, Europa e Austrália. Espera-se que os resultados do presente estudo possam estimular ações colaborativas entre grupos e pesquisadores brasileiros com o intuito de reduzir desigualdades regionais e aprimorar a produção do conhecimento na área da mensuração da atividade física e do comportamento sedentário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CNPq. Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil. Disponível em: <http://lattes.cnpq.br/web/dgp/o-que-e.> [2021 julho]. 2. CNPq. Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil. Disponível em: <http://lattes.cnpq.br/web/dgp/como-os-dados-saoobtidos>. [2021 julho].

Meneguci J, Santos RG, Santos DAT, Damião R, Virtuoso Junior JS, Mendes EL. Análise de grupos de pesquisa em atividade física e envelhecimento no Brasil. Estud. interdiscipl. envelhec. 2014;19(3):655-67. DOI: https://doi.org/10.22456/2316-2171.42218

Vilarino GT, Dominsk FH, Andrade RD, Felden EPG, Andrade A. Análise dos grupos de pesquisa em psicologia do esporte e do exercício no Brasil. Rev Bras Ciênc Esporte. 2017;39(4):371-79. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rbce.2017.07.004

Wareham NJ, Rennie KL. The assessment of physical activity in individuals and populations: why try to be more precise about how physical activity is assessed? Int J Obes Relat Metab Disord. 1998;22(Suppl 2):S30-8.

Dowd KP, Szeklicki R, Minetto MA, Murphy MH, Polito A, Ghigo E, et al. A systematic literature review of reviews on techniques for physical activity measurement in adults: a DEDIPAC study. Int J Behav Nutr Phys Act. 2018;15(1):15. DOI: https://doi.org/10.1186/s12966-017-0636-2

Kelly P, Fitzsimons C, Baker G. Should we reframe how we think about physical activity and sedentary behaviour measurement? Validity and reliability reconsidered. Int J Behav Nutr Phys Act. 2016;13:32. DOI: https://doi.org/10.1186/s12966-016-0351-4

Chinapaw MJ, Mokkink LB, van Poppel MN, van Mechelen W, Terwee CB. Physical activity questionnaires for youth: a systematic review of measurement properties. Sports Med. 2010;40(7):539-63. DOI: https://doi.org/10.2165/11530770-000000000-00000

van Poppel MN, Chinapaw MJ, Mokkink LB, van Mechelen W, Terwee CB. Physical activity questionnaires for adults: a systematic review of measurement properties. Sports Med. 2010;40(7):565-600. DOI: https://doi.org/10.2165/11531930-000000000-00000

Arredondo EM, Mendelson T, Holub C, Espinoza N, Marshall S. Cultural adaptation of physical activity selfreport instruments. J Phys Act Health. 2012;9(Suppl 1):S37-43. DOI: https://doi.org/10.1123/jpah.9.s1.s37

Varela AR, Pratt M, Harris J, Lecy J, Salvo D, Brownson RC, et al. Mapping the historical development of physical activity and health research: A structured literature review and citation network analysis. Prev Med. 2018;111:466-72. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ypmed.2017.10.020

CAPES. Cursos Avaliados e Reconhecidos. Disponível em: <https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantitativoAreaConhecimento. jsf?areaAvaliacao=21 > [2021 novembro].

Wendt A, Carvalho WRG, Silva ICM, Mielke GI. Preferências de atividade física em adultos brasileiros: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2019;24:e0079. DOI: https://doi.org/10.12820/rbafs.24e0079

Pedišić Ž, Bauman A. Accelerometer-based measures in physical activity surveillance: current practices and issues. Br J Sports Med. 2015;49(4):219-23. DOI: https://doi.org/10.1136/bjsports-2013-093407

Downloads

Publicado

2022-11-21

Como Citar

1.
Romanzini M, Silva DRP da, Ricardo LIC, Farias Júnior JC, Barbosa AO, Silva SG da, Crochemore-Silva I, Moura IRD, Prazeres Filho A, Sasaki JE, Reichert FF. Mensuração da atividade física e comportamento sedentário: uma análise baseada em grupos de pesquisa. Rev. Bras. Ativ. Fís. Saúde [Internet]. 21º de novembro de 2022 [citado 2º de dezembro de 2022];27:1-8. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14896

Edição

Seção

Artigos Originais