Ação “Lazer Mais Saúde”: experiências em promoção da atividade física nas Academias a Céu Aberto em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

  • José Mauro Silva Vidigal Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Grupo de Estudo e Pesquisa em Avaliação e Promoção da Atividade Física. Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. Diretoria de Monitoramento, Planejamento e Avaliação. Prefeitura de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
  • João Rafael da Silva Caldeira Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. Gerência de Lazer e Promoção da Saúde. Prefeitura de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
  • Rogério César Fermino Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Grupo de Pesquisa em Ambiente, Atividade Física e Saúde. Curitiba, Paraná, Brasil.
  • Hugo César Martins-Costa Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Grupo de Estudo e Pesquisa em Avaliação e Promoção da Atividade Física.
  • Amanda Paula Fernandes Barcelona Institute for Global Health (ISGlobal), Barcelona, Spain.
Palavras-chave: Política pública, Atividade motora, Avaliação de programas e projetos de saúde

Resumo

Este estudo objetivou desenvolver e apresentar o modelo lógico da ação Lazer Mais Saúde (LMS), associada à ação de instalação das Academias a Céu Aberto (ACA) em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. O modelo lógico foi baseado nas diretrizes do Center for Disease Control and Prevention. Foi realizado levantamento e análise de documentos e publicações ofciais produzidos entre 2009-2017. As primeiras ACA foram instaladas em 2010, totalizando 188 unidades em 2013 e 404 em 2017. O processo de instalação, manutenção, bem como, sensibilização e orientação de milhares de usuários das ACA foi conduzido. Em longo prazo, as ações vinculadas à ACA visam aumentar os níveis de atividade física de lazer na população-alvo e mitigar as desigualdades intraurbanas no acesso à atividade física. Este trabalho contribuiu para o registro sistemático das ações LMS e ACA em Belo Horizonte, Minas Gerais. O LMS foi aperfeiçoado continuamente, através de intervenções baseadas em evidências de gestão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Sallis JF, Bull F, Guthold R, Heath GW, Inoue S, Kelly P, et al. Physical Activity 2016: progress and challenges progress in physical activity over the Olympic quadrennium. Lancet Physical Activity Series 2 Executive Committee. Published online July 27, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(16)30581-5.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

OMS. Estratégia global em alimentação saudável, atividade física e saúde. 57ª. Assembleia Mundial de Saúde, 2004.

Malta DC, Morais Neto OL, Silva MM, Rocha D, Castro AM, Reis AAC et al. Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS): capítulos de uma caminhada ainda em construção. Ciênc. saúde coletiva. 2016; 21(6):1683-94.

Prefeitura de Belo Horizonte. Diário Oficial do Município, 23 Agosto 2013. Ano XXVI, Edição N.: 4378. Disponível em: http://portal6.pbh.gov.br/dom/iniciaEdicao.do?method=DetalheArtigo&pk=1105834.

Prefeitura de Belo Horizonte. Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. Diretoria de Infraestrutura Esportiva e de Lazer. Relatório Lista Geral de Academias a Céu Aberto de BH, Agosto 2018.

Souza CA, Fermino RC, Añez CR, Reis RS. Perfil dos frequentadores e padrão de uso das academias ao ar livre em bairros de baixa e alta renda de Curitiba-PR. Rev Bras Ativ Fis e Saúde. 2014;19(1):86-97.

Reis RS, Salvo D, Ogilvie D, Lambert EV, Goenka S, Brownson RC. Scaling up physical activity interventions worldwide: stepping up to larger and smarter approaches to get people moving. Lancet. 2016; 388(10051):1337-48.

USA. Department of Health and Human Services. Centers for Disease Control and Prevention. National Center for Chronic Disease Prevention and Health Promotion. Physical Activity Evaluation Handbook. Atlanta, Georgia. 2006.

Prefeitura de Belo Horizonte. Plano Plurianual de Ação Governamental. PPAG 2010 - 2013. Publicado online em 12 Julho 2018. Disponível em: https://prefeitura.pbh.gov.br/index.php/transparencia/contas-publicas/plano-plurianual-ppag/ppag-2010-2013.

Prefeitura de Belo Horizonte. Plano Plurianual de Ação Governamental. PPAG 2014 - 2017. Publicado online em 12 Julho 2018. Disponível em: https://prefeitura.pbh.gov.br/transparencia/contas-publicas/plano-plurianual-ppag/ppag-2014-2017.

Abade NSN. As academias a céu aberto em Belo Horizonte: interfaces entre lazer e saúde [dissertação de mestrado]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2016.

Silva MC, Iepsen AM, Caputo EL, Engers PB, Spohr CF, Vilela GF et al. Prática de atividade física no lazer e fatores associados em frequentadores de academias ao ar livre. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2017;19(2):185-95.

Costa B, Freitas C, Silva K. Atividade física e uso de equipamentos entre usuários de duas Academias ao Ar Livre. Rev Bras Ativ Fís Saúde. 2016;21(1):29-38.

Publicado
09-07-2019
Como Citar
1.
Vidigal JMS, Caldeira JR da S, Fermino RC, Martins-Costa HC, Fernandes AP. Ação “Lazer Mais Saúde”: experiências em promoção da atividade física nas Academias a Céu Aberto em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Rev Bras Ativ Fís Saúde [Internet]. 9º de julho de 2019 [citado 5º de agosto de 2020];240:1-. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14106
Seção
Do Diagnóstico à Ação: Experiências em Promoção de Atividade Física e Saúde