Regulações motivacionais das diferentes escolhas de atividade física no lazer de adolescentes

Palavras-chave: Motivação, Atividade motora, Exercício, Estudo transversal, Estudante

Resumo

O objetivo desse estudo foi comparar as regulações motivacionais entre diferentes escolhas por AF no lazer em adolescentes e verificar se o volume anual de AF é diferente conforme essas escolhas. Tratou-se de um estudo transversal, de base populacional, com 2.757 adolescentes de 10 a 19 anos de idade. Questionários de AF habitual e motivação foram utilizados. Houve maior prevalência de adolescentes que escolheram a prática de esportes coletivos (≈ 60%) como AF de lazer. A regulação intrínseca foi maior nos praticantes de esportes de aventura (3,0 ± 0,99; p < 0,001; g de hedges = 0,55), lutas (2,90 ± 1,13; p < 0,001; g de hedges = 0,46) e esportes coletivos (2,66 ± 1,14; p < 0,001; g de hedges = 0,25) comparados aos adolescentes que escolheram exercícios no lazer (2,37 ± 1,15). O volume anual de AF foi maior para praticantes de esportes de aventura (z = 1,51, p < 0,001), quando comparado aos demais; e maior para os praticantes de lutas (z = 0,76), quando comparado aos de esportes coletivos (z = 0,02; p = 0,02) e exercícios (z = -0,10; p < 0,001). Em conclusão, as características motivacionais dos esportes de aventura e lutas podem ser observadas nas políticas e ações que visam estimular a prática de AF para jovens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aaron DJ, Storti KL, Robertson RJ, Kriska AM, LaPorte RE. Longitudinal study of the number and choice of leisure time physical activities from mid to late adolescence: implications for school curricula and community recreation programs. Arch Pediatr Adolesc Med. 2002;156(11):1075-80.

Seabra AF, Mendonça DM, Thomis MA, Anjos LA, Maia JA. Biological and socio-cultural determinants of physical activity in adolescents. Cad Saúde Pública. 2008;24(4):721-36.

Matias TS, Andrade A, Manfrin JM. Esportes de aventura versus exercícios e esportes: considerações sobre as regulações motivacionais de adolescentes. Pensar Prática. 2018;21(4):836-44.

Matias TS, Viana MDS, Kretzer FL, Andrade A. Autodeterminação de adolescentes em diferentes estágios de mudança para o exercício físico. Rev Educ Física UEM. 2014;25(2):211-22.

Santos AS, Nóbrega MAG, Lima MP, Pereira M. Fatores motivacionais para a prática esportiva em adolescentes do 3o ano do Ensino Médio. Rev Bras Futsal Futeb. 2016;8(31):313-18.

Frederick CM, Ryan RM. Differences in motivation for sport and exercise and their relations with participation and mental health. J Sport Behav. 1993;16(3):124-46.

Lawler M, Heary C, Nixon E. Variations in adolescents’ motivational characteristics across gender and physical activity patterns: A latent class analysis approach. BMC Public Health. 2017;17(1):648-61.

Dishman RK, Mciver KL, Dowda M, Saunders RP, Pate RR. Motivation and behavioral regulation of physical activity in middle school students: Med Sci Sports Exerc. 2015;47(9):1913-21.

Silva RB, Matias TS, Viana MS, Andrade A. Relação da prática de exercícios físicos e fatores associados às regulações motivacionais de adolescentes brasileiros. Motricidade. 2012;8(2):8-21.

Hallal PC, Bertoldi AD, Gonçalves H, Victora CG. Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade. Cad Saúde Pública. 2006;22(6):1277-87.

Lavoura TN, Schwartz GM, Machado AA. Aspectos emocionais da prática de atividades de aventura na natureza: a (re)educação dos sentidos. Rev Bras Educ Física Esporte. 2008;22(2):119-27.

Amaral AV, Dias CAG. Da praia para o mar: motivos à adesão e à prática do surfe. Licere. 2008;11(3):1-22.

Thøgersen-Ntoumani C, Ntoumanis N. The role of self-determined motivation in the understanding of exercise-related behaviours, cognitions and physical self-evaluations. J Sports Sci. 2006;24(4):393-404.

Moreno-Murcia JA, Hernández EH. The Importance of supporting adolescents’ autonomy in promoting physical-sport exercise. Span J Psychol. 2013;81(16):1-9.

Dishman RK, Mciver KL, Dowda M, Pate RR. Declining physical activity and motivation from middle school to high school: Med Sci Sports Exerc. 2018;50(6):1206-15.

Santos R, Albuquerque J, Moura S, Rosenstiel L, Rabay A, Silva C. Exercício físico ao ar livre, motivação e aderência: um estudo sobre a satisfação das necessidades psicológicas em mulheres. Rev Bras Ciênc Saúde. 2015;19(Supl.2):33-8.

Aragão IRM, Macedo RF, Bortoli R. Características da prática de atividades físicas desportivas em pré-adolescentes em Aracaju. Pensar En Mov Rev Cienc Ejerc Salud. 2014;12(2):1-14.

Florindo AA, Romero A, Peres SV, Silva MV, Slater B. Desenvolvimento e validação de um questionário de avaliação da atividade física para adolescentes. Rev Saúde Pública. 2006;40(5):802-9.

Markland D, Tobin V. A modification to the behavioural regulation in exercise questionnaire to include an assessment of amotivation. J Sport Exerc Psychol. 2004;26(2):191-6.

Viana MS. Motivação de adolescentes para a prática de exercícios físicos: perspectivas da teoria da autodeterminação [Dissertação de mestrado em Ciências do Movimento Humano]. Florianópolis: Universidade Estadual de Santa Catarina; 2009.

Vallerand RJ. Toward a hierarchical model of intrinsic and extrinsic motivation. In: Zanna M P. Advances in experimental social psychology. Academic Press; 1997. 271-360.

Field A. Discovering statistics using SPSS: (And sex and drugs and rock 'n' roll). 4th edn. London: SAGE; 2013.

Rosenthal R. Parametric measures of effect size. In: Cooper H & Hedges LV. The handbook of research synthesis. New York: Russell Sage Foundation; 1994. p. 231-44.

Lakes KD, Hoyt WT. Promoting self-regulation through school-based martial arts training. J Appl Dev Psychol. 2004;25(3):283-302.

Allman TL, Mittelstaedt RD, Martin B, Goldenberg M. Exploring the motivations of BASE jumpers: Extreme sport enthusiasts. J Sport Tour. 2009;14(4):229-47.

Ntoumanis N, Stenling A, Thøgersen-Ntoumani C, Vlachopoulos S, Lindwall M, Gucciardi DF, et al. Longitudinal associations between exercise identity and exercise motivation: A multilevel growth curve model approach. Scand J Med Sci Sports. 2018;28(2):746-53.

Borges PH, Silva DDO, Ciqueira EFL, Rinaldi IPB, Rinaldi W, Vieira LF. Motivação e desempenho tático em jovens jogadores de futebol: uma análise a partir da teoria da autodeterminação. Cinergis. 2015;16(2)120-4.

Deci EL, Ryan RM. The “What” and “Why” of goal pursuits: Human needs and the self-setermination of behavior. Psychol Inq. 2000;11(4):227-68.

Oliveira AJ, Rangel AG, Henrique J, Vale WS, Nunes WJ, Ruffoni R. Aspectos motivacionais de praticantes de judô do sexo masculino. Rev Bras Ciênc Esporte. 2018;40(2):156-62.

Fisher J, Sales A, Carlson L, Steele J. A comparison of the motivational factors between CrossFit participants and other resistance exercise modalities: a pilot study. J Sports Med Phys Fitness. 2017;(9):1227-34.

Publicado
10-12-2019
Como Citar
1.
Matias TS, Andrade A, Manfrin JM. Regulações motivacionais das diferentes escolhas de atividade física no lazer de adolescentes. Rev Bras Ativ Fís Saúde [Internet]. 10º de dezembro de 2019 [citado 14º de julho de 2020];240:1-. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/14008
Seção
Artigos Originais