A baixa duração do sono está associada com a inatividade física em adolescentes amazonenses?

  • Geraldo Ferrari Junior
  • André Pinto
  • Rita Barbosa
  • Markus Nahas
  • Andreia Pelegrini
  • Érico Felden
Palavras-chave: Atividade Motora, Saúde do adolescente, Sono

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar os fatores associados à baixa duração do sono em adolescentes amazonenses. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal conduzido em 2.517 adolescentes (1.106 do sexo masculino e 1.411 do sexo feminino) com idades de 14 a 19 anos, matriculados em escolas públicas de ensino médio no estado do Amazonas. Além da baixa duração do sono (< oito horas/dia) foram investigadas informações sobre sexo, faixa etária, ano escolar, turno escolar, renda familiar, situação ocupacional e atividade física. Associações entre a baixa duração de sono com as demais variáveis foram analisadas por meio da regressão de Poisson. A prevalência de baixa duração de sono encontrada nos adolescentes amazonenses foi de (51,2%; IC95%= 49,2-52,9). Os adolescentes mais velhos de 18 a 19 anos (RP= 1,14; IC95%= 1,01-1,29), que estudam no turno matutino (RP= 1,37; IC95%= 1,25-1,48) e noturno (RP= 1,16; IC95%= 1,04-1,28), os que trabalham (RP= 1,34; IC95%= 1,23-1,45) e são inativos fisicamente (RP=1,27; IC95%= 1,06-1,53) apresentaram risco para a baixa duração do sono. Os resultados evidenciam que fatores biológicos, comportamentais e ambientais são fatores importantes para a duração do sono dos adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
01-07-2017
Seção
Artigos Originais