Disfunção erétil associada à prática de atividade física e qualidade de vida de idosos

  • Patricia Heck Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Adriana Guimarães Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Camila Araujo Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Joris Pazin Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Taysi Seemann
  • Paulo Oliveira Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Zenite Machado Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: Disfunção sexual, Atividade motora, Idosos

Resumo

Objetivou-se analisar a relação entre a atividade física e a qualidade de vida com a disfunção erétil de 121 idosos participantes de grupos de convivência cadastrados na prefeitura de Florianópolis, com média de idade de 73,1±7,27 anos. Aplicou-se um questionário em forma de entrevista contendo: a) identificação pessoal; b) situação socioeconômica; c) Nível de atividade física (IPAQ- versão longa adaptada para idosos); d) Qualidade de vida: WHOQOL-bref; e) Índice Internacional de Função Erétil. Verificou-se prevalência elevada de idosos com disfunção erétil (63%), sendo 18% suave, 8% moderada e 36% severa. Os idosos com e sem disfunção erétil foram suficientemente ativos (67%). Em relação a qualidade de vida, aqueles idosos com disfunção erétil apresentaram escores inferiores nos domínios Psicológico e Social, quando comparados aos sem disfunção. Houve alta prevalência de disfunção erétil e essa variável parece diminuir a percepção de qualidade de vida nos domínios psicológico e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Heck, Universidade do Estado de Santa Catarina

Bacharel em Educação Física pelo Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID)

Adriana Guimarães, Universidade do Estado de Santa Catarina
Professora Doutora do Departamento de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Camila Araujo, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEFID/UDESC).

Joris Pazin, Universidade do Estado de Santa Catarina
Professor Doutor do Departamento de Educação Física do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID) da Universidade do Estado de Santa Catarina, (UDESC)
Taysi Seemann
Bacharel em Educação Física pelo Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID)
Paulo Oliveira, Universidade do Estado de Santa Catarina
Bacharel em Educação Física pelo Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID)
Zenite Machado, Universidade do Estado de Santa Catarina
Professora Doutora do Departamento de Educação Física do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (CEFID) da Universidade do Estado de Santa Catarina, (UDESC)
Publicado
01-03-2016
Seção
Artigos Originais