Associação entre força e aptidão cardiorrespiratória é mais forte em septuagenários

  • Daniel Machado Universidade Estadual de Londrina Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Hassan Elsangedy Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Pedro Agrícola Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Luiz Farias-Junior Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Luiz Nascimento-Neto Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • André Fonteles Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cheng Chao Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Eduardo Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Edilson Cyrino Universidade Estadual de Londrina
  • Paulo Farinatti Universidade Estadual do Rio de Janeiro
  • Alexandre Okano Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Envelhecimento, Idosos, Atividade física

Resumo

O propósito deste estudo foi analisar a associação entre força muscular e aptidão cardiorrespiratória em diferentes grupos etários. Duzentos e trinta e seis participantes (75 homens e 161 mulheres) de 40 a 84 anos foram divididos em quatro grupos etários: 40-49, 50-59, 60-69, ≥ 70 anos. A força muscular foi avaliada pelo teste de força de preensão manual (FPM), enquanto a aptidão cardiorrespiratória foi estimada pela distância percorrida no teste de caminhada de 6-min. Uma correlação positiva e significante foi encontrada entre a FPM e distância percorrida no teste de caminhada de 6-min somente no grupo ≥ 70 anos (r = 0,51; P = 0,01). Quando combinados em um modelo de regressão múltipla, a FPM (P = 0,01) e o gênero (P = 0,36) explicaram 47,4% da variância na distância percorrida no teste de caminhada de 6-min no grupo ≥ 70 anos. Os resultados sugerem que a força muscular parece ser um importante determinante da aptidão cardiorrespiratória em indivíduos ≥ 70 anos, independente do gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
01-07-2016
Seção
Artigos Originais