Percepção de mulheres com hipertensão sobre a prática de ioga na saúde e na qualidade de vida

  • Julio Mizuno Unesp
  • Fernanda Rossi
  • Silvia Deutsch
  • Henrique Monteiro
Palavras-chave: Hipertensão, Ioga, Qualidade de vida

Resumo

O objetivo deste estudo foi explorar as percepções de mulheres adultas e idosas com hipertensão arterial participantes de um programa de exercícios de Ioga. Para coleta de dados foi utilizada a técnica de grupo focal com questionário semiestruturado, que permitiu extrair opiniões e sentimentos, compartilhando diferentes visões de um mesmo fenômeno. Os relatos foram transcritos, analisados pelo método de análise de conteúdo e divididos em quatro categorias, cujos resultados foram: a) Dimensão da prática: a participação no programa melhorou os hábitos alimentares e a disposição para realizar atividades físicas, que estão relacionados com o autocuidado e a conscientização; b) Dimensão física: os relatos apontam para a melhora em realizar atividades cotidianas, indicando melhoras das capacidades físicas, proporcionados pelos exercícios de Ioga; c) Dimensão saúde-doença: observamos a redução das queixas de dores musculares, articulares, do consumo de medicação e de sinais e sintomas; e, d) Dimensão psicossocial: melhoras no estado de humor, autoconhecimento, autoestima e reflexões do âmbito social. O programa de Ioga pode proporcionar diversos benefícios às participantes, apontando para a existência de uma perspectiva em saúde, observável a partir das percepções expressas no grupo focal, que podem ser descritas em seus prontuários clínicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Mizuno, Unesp

Depto de Educação Física

Pós Graduação em Ciências da Motricidade

Publicado
22-12-2015
Seção
Artigos Originais